sábado, 26 de setembro de 2009

Namorar a distância ou o pegar o cara ao lado?

Uma de nossas leitoras mais assíduas me mandou a seguinte pergunta: "Amigo gay, o que dizer quando se tem uma possibilidade de relacionamento a distância com um bofe conhecido, melhor amigo e disposto a assumir um caso sério, mas que mora a 400 km de distância versus um relacionamento sério com um cara que cai do céu na sua vida e, apesar de desconhecido, está sempre por perto e parece merecer exclusividade e entrega total?" Olha, amiga, em primeiro lugar você quer mesmo um bofe, a distância ou não. Começar um rolinho a distância é pedir para ficar na distância (física, em ocional, espiritual, sexual, anal...). Segundo, se ele é seu "melhor amigo", há uma grande chance de ser gay, eu já fui melhor-amigo-namorado-de-uma-racha!

Em outro ponto você tem um carinha que mostra a sua presença e que quer algo sério. Beleza. Você sente alguma coisa por ele que justifique essa "possibilidade de relacionamento sério"? Ou é só comodidade mesmo? Ele pode mesmo se tornar o amor da sua vida, mas tome cuidado para não ferir os sentimentos de ninguém com essa boquinha livre (nem os seus, nem os dele - homem também tem sentimento, poucos, mas tem!). O que está longe, esqueça! O que está perto, pergunte-se se você o quer ou vai só tentar um serviço de manutenção. Não tenha medo de tentar e nem de ficar sozinha! Você é uma mulher e deve ter muitos atributos aí para usar consigo mesma ou com o bofe mais perto. Bota a fila pra correr: próximooooo!

Meninas, se tiverem algum comentário, vamos participar! Bota e xana pra pensar!

Bêju-me-conquista!

13 comentários:

Pequena disse...

Putz, a distância é ruim, hein? Por mais amor que se tenha sempre vai ter uma lacunazinha, e daí fica muito fácil pegar alguém de perto só pra "manutenção". Isso não faz bem pra nenhuma das partes!

Amigo Gay disse...

Ai, Pequena, eu acho a mesma coisa!
Quando o namoro já tem bastante tempo, ficar namorando a distância parece que é mais plausível (ai, falei difícil!). Mas ficar sem o pego-no-meu-pega pode esfriar e arruinar um relacionamento, que nem uma tsunami nas férias!

Bêju-me-esfola!

Anônimo disse...

amigo gay,
o ideal msmo seria o serviço de manutenção dos dois, num é mesmo? Qnd um não puder, o outro tá garantido!!!
hahahaha
Bjo, delícia!

Siririca disse...

Ah...oh...
ufpt.

Susi disse...

Fica com os dois ué...

Amigo Gay disse...

Gente,

por mais que eu tenha vontade de mandar a moça fazer a vadia, não é certo manter dois bofes ao mesmo tempo! Principalmente porque ela quer ter alguma coisa séria. Mas se você é perva, vá em frente e mantenha logo vários!!!! Arrase no cardápio!

Bêju-me-segue!

Amigo Gay disse...

Dona Siririca, a senhorita está com a perseguida pegando fogo!

Bêju-me-siririca-forever!

Susi disse...

ah ..
ela não precisa ficar com os dois por muito tempo..
só o suficiente pra ela se decidir...
ai depois nao corre o risco de ficar pensando "ah mas e se eu tivesse com o fulano..."
é só um test drive...hehehe
homem vive fazendo isso, pq a gente não pode fazer tb??

Amigo Gay disse...

Ai, eu acho que manter os dois é muito complicado. E depois voc6e pode se apaixonar mais por aquele que não te quer tanto. Você terá que desenvolver a xana de ouro se quiser manter os dois loucos por você o tempo todo. Duas dificuldades: um que te vê demais e o outro que nunca te vê. A intimidade ou a ausência de podem ser muito perigosas! Se foca em um e nada de fazer a vibe da perva!

Bêju-me-clona!

Anônimo disse...

Susi, gostei do "ela não precisa ficar com os dois por muito tempo". O instinto "perva", a gente solta com aquele q demonstrar mais desprendimento, com aquele q a gente sentir mais liberdade....com o outro, a gente se faz de difíci...
Vai ser o test de qual tipo de relação traz mais felicidade...um caso carnal ou um amor-construído-by-Maya-Raj!
hahahaha

Susi disse...

Ah Amigo Gay...
não precisa ser tão politicamente correto...
é so uns beijinhos...uns amassinhos e pronto...
não tem nada de "perva" nisso (dependendo do grau do amasso neh ...hehe)

Santinha. disse...

Test-Drive é tudo!

Vai que não encaixa... melhor experimentar.

Amigo Gay disse...

É, test-drive pode ser bom e você não precisa comprar o produto, só tirar uma casquinha! Mas escolha bons carros para o test-drive, nada de coisa antiga ou carro popular, hein?

Bêju-me-esfrega-na-parede-e-me-chama-de-perva!

Postar um comentário